segunda-feira, 13 de Julho de 2009

O MEU PORTEFÓLIO

Este Unidade curricular dá muitas contribuições, para que posso utilizar em a minha área da Educação no meu País no futuro. Embora, teve dificuldades em aprender essa tecnologia e multimedia, mas no fim posso apanhar alguns conhecimentos através desta disciplina. O Blogue que foi feito, contendo os temas abordados são: o Moodle, o Portefólio e também algumas matérias de Quimica como a minha área. Através deste método de aprendizagem pode enriquecer o meu conhecimento na área Educação e Tecnologia Multimédia. Em outro lado, este conhecimentos irei aplicar para os meus alunos em Timor Leste para que eles podem ter acesso e possibilitam aumentar os seus conhecimentos.
O portefólio neste contexto é o conjunto das informações que evidenciam o meu conhecimento sobre esta unidade curricular. Com o meu suficiente conhecimento, esforcei lançar alguns textos, vídeos e Web site sobre a materia Quimica. Em este caso, aprendi duas disciplinas ao mesmo tempo, nomeadamente a Química e a Tecnologia Multimedia.

O MOODLE

Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment ou Moodle é um software livre, de apoio à aprendizagem, executado num ambiente virtual. A expressão designa ainda o Learning Management System (Sistema de gestão da aprendizagem) em trabalho colaborativo baseado nesse programa. Em linguagem coloquial, o verbo para moodle descreve o processo de navegar despretensiosamente por algo, enquanto fazem-se outras coisas ao mesmo tempo.

O conceito foi criado em 2001 pelo educador e cientista computacional Martin Dougiamas. Voltado para Programadores e académicos da educação, constitui-se num sistema de administração de actividades educacionais destinado à criação de comunidades on-line, em ambientes virtuais voltados para a aprendizagem colaborativa. Permite, de maneira simplificada, a um estudante ou a um professor integrar-se, estudando ou leccionando, num curso on-line à sua escolha. Nas palavras do próprio Dougiamas, baseando-se na pedagogia sócio-construtivista.


Video seguinte apresenta-nos, o que é o Moodle?

O PORTEFÓLIO ELECTRÓNICO/DIGITAL

Um portefólio electrónico é também conhecida por portefólio digital, é uma recolha de provas electrónicas montado e gerido por um usuário, geralmente na Web (também chamado Webfolio). Tais como evidência electrónico podem incluir o texto, ficheiros electrónicos, imagens, multimédia, blogues, e hiperlinks. Portefólios Electrónicos são manifestações das habilidades do usuário e plataformas de auto-expressão, e, se eles estão online, eles podem ser mantidas dinamicamente ao longo do tempo. Algumas aplicações portefólio electrónica permitem diferentes graus de acesso público, de modo que o mesmo portefólio possa ser utilizado para vários objectivos.
Existem três tipos principais de portefólios electrónicos, embora possam ser encaminhados para o uso de diferentes termos: desenvolvimento (por exemplo, trabalho), reflexivo (por exemplo, a aprendizagem), e de representação (por exemplo, vitrina). Um desenvolvimento de portfólio electrónico é um registo das coisas que o proprietário tem feito ao longo de um período de tempo, e pode ser directamente vinculado ao aluno resultados ou rubricas. O portefólio inclui reflexão pessoal sobre o conteúdo e o que significa para o desenvolvimento em si. A representação portefólio electrónica mostra as realizações do proprietário em relação a determinado trabalho ou metas de desenvolvimento e é, portanto, selectivo. Quando é utilizado para a candidatura, é às vezes chamado portefólio Carreira. Os três principais tipos podem ser misturadas para alcançar diferente aprendizagem, pessoais ou profissionais, os resultados com o portefólio electrónico proprietário, costuma a pessoa que determina os níveis de acesso.
Hoje em dia, portefólios electrónicos estão ganhar popularidade em:
Escolas (Technology Integration)
Ensino superior
Desenvolvimento profissional contínuo
Job applications/anúncios profissional
Grupos de terapia
Avaliação
Acreditações



quinta-feira, 9 de Julho de 2009

REACÇÃO DE ÁCIDO E BASE

Reacção entre ácido e Base produz sal e água


Sites sobre reacção ácido e base :
1.http://mariafatimabc.googlepages.com/Auto-ionizao.pdf
2.http://www.lce.esalq.usp.br/arquimedes/Atividade04.pdf
3.http://www.dq.fct.unl.pt/cadeiras/quimica1/material/teoria/livroQ1-2-pH.pdf
4.http://www.univ-ab.pt/disciplinas/dcet/qg607/files/AcidosBases.pdf
5.http://mariafatimabc.googlepages.com/acido_base.pdf

ÁCIDO E BASE NA VIDA QUOTIDIANA

Na vida quotidiana, todos nós temos de ter contacto com ácidos e bases. Por exemplo, quando usamos o vinagre no tempero de uma salada, quando usamos o sumo de limão ou até mesmo o sumo de uma maçã, estamos perante um ácido. Por outro lado, quando utilizamos um produto para desentupir canalizações estamos perante uma base. Mesmo um adubo, que é utilizado numa plantação como fonte de azoto para as plantas, é um composto básico. Os ácidos são também parte fundamental do nosso processo digestivo. Geralmente, o ácido caracteriza-se por ser algo azedo, enquanto a base por ser algo escorregadio ao tacto. Os conceitos de ácido e de base são conceitos centrais quer para a química moderna, quer no dia-a-dia, quer ao nível da indústria química.
O ácido mais comum na química quotidiana é o ácido clorídrico (HCl). Este ácido impuro (técnico) é vendido no comércio com o nome de ácido muriático, encontrado no suco gástrico. É um reagente muito usado na indústria e no laboratório. De facto é usado na limpeza dos edifícios, para remover os respingos de cal, e na limpeza de superfícies metálicas antes da soldagem dos respectivos metais. O ácido sulfúrico (H2SO4) é o ácido mais importante na indústria e no laboratório. O maior consumo de ácido sulfúrico ocorre no fabrico de fertilizantes, como os supersulfatos e o sulfato de amónio. É o ácido utilizado nos acumuladores de chumbo (bateria) usados nos automóveis e consumido em enormes quantidades em inúmeros processos industriais, designadamente em processos da indústria petroquímica, da fabricação de papel, de corantes, etc. O ácido sulfúrico concentrado é um dos desidratantes mais enérgicos. Assim, ele carboniza os hidratos de carbono, como os açúcares, o amido e a celulose. A carbonização é devido à desidratação desses materiais. O ácido sulfúrico concentrado tem acção corrosiva sobre os tecidos dos organismos vivos, também devido à sua acção desidratante. Produz sérias queimaduras na pele. Por isso, é necessário extremo cuidado ao manusear esse ácido. As chuvas ácidas, em ambientes poluídos com dióxido de enxofre, contêm H2SO4 e causam grande impacto ambiental.
O ácido Nítrico (HNO3), depois do sulfúrico, é o ácido mais fabricado e mais consumido na indústria. O seu maior consumo dá-se na fabricação de explosivos, como nitroglicerina (dinamite), trinitrotolueno (TNT), trinitrocelulose (algodão pólvora) e ácido pícrico e picrato de amónio. É usado na fabricação do salitre (NaNO3, KNO3) e da pólvora negra (salitre + carvão + enxofre).
As chuvas ácidas em ambientes poluídos com óxidos do nitrogénio contêm HNO3 e causam sério impacto ambiental. Em ambientes não poluídos, mas na presença de raios e relâmpagos, a chuva também contém HNO3, mas em proporção mínima. O ácido nítrico concentrado é um líquido muito volátil; seus vapores são muito tóxicos. É um ácido muito corrosivo e, assim como o ácido sulfúrico, é necessário muito cuidado para manuseá- lo. O ácido Fosfórico (H3PO4) origina sais (fosfatos) que têm grande aplicação como fertilizantes na agricultura. É usado como aditivo em alguns refrigerantes.
O ácido acético (CH3COOH) é o ácido do vinagre, produto indispensável na cozinha (preparo de saladas e maioneses). O ácido fluorídrico (HF) tem a particularidade de corroer o vidro, devendo ser guardado em frascos de polietileno. É usado para gravar sobre vidro. O ácido carbónico (H2CO3) é o ácido das águas minerais gaseificadas dos refrigerantes. A utilidade mais legal do ácido carbónico é na produção da coca-cola que faz as bolinhas. É um ácido fraco e forma-se quando a água (H2O) e o dióxido de carbono (CO2) se reagem.
Uma das bases mais comuns na química do quotidiano é o hidróxido de sódio ou soda cáustica (NaOH). É a base mais importante da indústria e do laboratório. É um composto fabricado e consumido em grandes quantidades. É usado no fabrico do sabão, sais de sódio, em geral, glicerina, sal de cozinha, na indústria petroquímica, fabrico de papel, celulose, corantes, etc.
O ácido acético (CH3COOH) é o ácido do vinagre, produto indispensável na cozinha (preparo de saladas e maioneses). O ácido fluorídrico (HF) tem a particularidade de corroer o vidro, devendo ser guardado em frascos de polietileno. É usado para gravar sobre vidro. O ácido carbónico (H2CO3) é o ácido das águas minerais gaseificadas dos refrigerantes. A utilidade mais legal do ácido carbónico é na produção da coca-cola que faz as bolinhas. É um ácido fraco e forma-se quando a água (H2O) e o dióxido de carbono (CO2) se reagem.
Uma das bases mais comuns na química do quotidiano é o hidróxido de sódio ou soda cáustica (NaOH). É a base mais importante da indústria e do laboratório. É um composto fabricado e consumido em grandes quantidades. É usado no fabrico do sabão, sais de sódio, em geral, glicerina, sal de cozinha, na indústria petroquímica, fabrico de papel, celulose, corantes, etc.

segunda-feira, 6 de Julho de 2009

SOLUÇÃO QUÍMICA ELECTRÓLITO E NÃOELECTRÓLITO

Solução: é uma misturação homogénea entre solvente e o soluto
Solução electrólito: é solução que pode produzir a corrente eléctrica e acender a lâmpada
Solução não electrólito: é solução que não produz a corrente eléctrica e não acender a lâmpada
Demonstração sobre a solução electrolito:

Sites sobre solução electrólito e solução não electrólito:

domingo, 5 de Julho de 2009

EDUCAÇÃO EM TIMOR LESTE

Mais de 90% de todos os edifícios escolares foram gravemente danificadas ou destruídas pelos militares indonésios e no êxodo dos indonésios de Timor Leste, o país perdeu 20% de seus professores da escola primária e secundária 80% dos professores, a maioria dos quais não são esperados para retornar. UNICEF e outras organizações de ajuda internacional reagiram com bastante rapidez, no entanto, restabelecendo turmas de 420 das 800 escolas primárias do país, até Dezembro de 1999, mais um adicional de 273 escolas até Abril de 2000

Em 2001, Timor Leste nomeou seu primeiro ministro da educação. No início do ano letivo de 2001, havia cerca de 240.000 alunos de escolas primárias e secundárias matriculados em classes com mais de 700 escolas primárias, 100 esclocas secundário,e 10 escolas técnicas. Cerca de 6.000 professores foram contratados. A Universidade Nacional de Timor-Leste (Universidade Nacional Timor Lorosae-UNTL) aberta para as classes, em 27 de Novembro de 2000 e tinha cerca de 5.000 alunos no atendimento em 2003. Existem cinco faculdades da universidade: a agricultura, ciência política, economia, educação e formação de professores, e de engenharia. Todos os novos alunos seguem um curso, incluindo os direitos humanos, ética, filosofia da ciência, história de Timor.

O sistema de ensino inclui seis anos de ensino primário e três anos do ensino pré-secundaria secundário e três anos do ensino secundário. Em 2000, a língua de instrução foi indonésio, mas este tem sido um tema de debate. Muitos estão a encorajar a mudança para a língua nacional do tétum como língua principal com Português e Inglês como língua secundária. O novo ministro da educação terão de abordar as questões da manutenção da reparação e reconstrução de escolas, proporcionando uma formação adequada para os professores, e cria um currículo padronizado relevante para os estudantes Timorenses.